JUSTIÇA TURVA

Já tarde da noite

Um ministro com olheiras marcantes

Rascunha no pergaminho da história

Um habeas corpus.

Para um inocente? Não. Para um traficante

O pobre homem, coitado!

Perseguido, injustiçado, um pobre diabo

Um infeliz por inteiro

Tão pobre que nada tem, além de dinheiro

Em sua história, muitas vezes homicida

Arruinou tantas famílias, destruiu tantas vidas

Mas o ministro entende que lhe deva dar guarida

Pouco importa a ficha negra

Tão pouco milhões de maldades

Pois nada disso é maior

Que uma tecnicalidade

Não renovaram a preventiva, fazer o que?

Vá meu filho, vá em paz

E a polícia que o prenda de novo

Se for capaz, recursos não faltam

Tem até demais…

Publicado por

AILTON V. PRIMO

Brasileiro, casado, médico radiologista, 65 anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.